Entrevista – Bruno Bôto da Cruz

19 Set , 2012 Sem categoria

 

“Bruno Miguel Bôto da Cruz”

ADS – Bom dia Bruno, antes de mais fala-nos um pouco sobre o teu percurso?

Bruno Bôto da Cruz – Nasci em Setúbal, onde tirei o curso Técnico de Design na Escola Secundária D. João II. Daí segui para Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, frequentando o curso de Design de Moda, no qual adquiri conhecimentos ao nível do Design, do Desenho e da Moda. Foi por isso uma importante experiência para crescer enquanto pessoa e designer, que me permitiu aprender imenso, conhecer pessoas, ao mesmo tempo que me possibilitou direccionar para a área em que me encontro hoje. Por questões pessoais tive de interromper no 3º ano este percurso, tendo parado os estudos durante dois anos e começado a trabalhar. Depois, por casualidade acabei por conhecer o programa curricular do curso de Design de Comunicação da Universidade do Algarve, que despertou o meu interesse ao ter disciplinas tão variadas como multimédia, edição vídeo, animação, fotografia entre outras, no qual acabei por ingressar, foi uma experiência muito positiva, a qualidade de vida que se tem no Algarve é incomparável à de Lisboa e por isso não me custou muito a adaptação. Durante o curso candidatei-me a uma bolsa para frequentar o programa Erasmus, e ao consegui-la foi-me dada a possibilidade de estar durante um semestre a estudar em Zlín, na República Checa. Na Faculdade de Multimédia e Comunicação da Universidade Tomas Bata, frequentei os ateliers (disciplinas) de Design Gráfico, 3D Design e Fotografia de Publicidade, entre outras. Esta experiência foi também extremamente gratificante, permitiu-me participar noutro sistema de ensino, conhecer outra cultura, outras pessoas, outras ideias… enfim, foi muito bom. Durante o curso, ainda me foi possível complementar a minha formação com cursos e workshops, em design multimédia e animação dentro e fora da universidade, e fiz  parte de dois núcleos estudantis, a surfuna núcleo de actividades náuticas da UAlg e o ADN, núcleo de design da UALG.

Agora falando um pouco do meu percurso profissional, comecei a trabalhar cedo, desde os meus 16 anos e por isso acabei por fazer um pouco de tudo, desde entregar pizzas, a trabalhar como operário fabril, técnico de vendas numa loja de design, empregado de mesa, técnico de tráfego aéreo… Já na área do design e ainda durante o curso, desempenhei funções de account num gabinete de comunicação. Depois e após ter terminado o meu percurso académico, fui designer num estúdio de design de comunicação durante dois anos, onde cheguei a dirigir uma pequena equipa. Entretanto, optei por iniciar a minha actividade como freelancer, para clientes que fui adquirindo ao longo do tempo, além de, actualmente, me dedicar à área da formação em cursos ligados à área do design e multimédia, tendo coordenado durante dois anos o curso profissional de design numa escola secundária. E é claro a ADS que acaba por tomar uma boa parte do meu tempo mas que me dá imenso prazer.

 

ADS – Como surgiu a Associação de Designers do Sul?

BBC – A ADS (Associação de Designers do Sul) surgiu em 2008,  na sequência do já existente Núcleo de Design, que resultou da união de vários alunos do curso de Design da Universidade do Algarve-ESE, no sentido da criação de uma estrutura que assegurasse a realização de vários projectos relacionados com a profissão e que estivesse ligado à Universidade do Algarve. Um desses projectos consistiu na organização de uma mostra pública dos trabalhos realizados pelos alunos finalistas do curso de Design de Comunicação da antiga ESE-UALG, denominada O QUÊ? AO SABOR DA IDEIA , que, no âmbito das comemorações dos 15 anos do curso, acabou por conjugar também a realização de um  um ciclo de conferências e apresentações e ainda um concerto.  

Esta primeira experiência superou as nossas expectativas e com ela veio a vontade de fazer mais e a ideia de criar a ADN – Algarve Design Núcleo, de forma a ir ao encontro da motivação do grupo, no sentido de organizar e colaborar em mais eventos e actividades na área do Design, demos inicio ao nosso primeiro blog, designnucleo.blogspot.com e paralelamente iniciámos a formalização da associação.

Após alguns contratempos que se prenderam com alguma imaturidade e falta de experiência do grupo nestas andanças, só a partir dos finais de 2009, após um convite do IPJ para participarmos nas Jornadas Associativas, a ADS ganhou novo fôlego, apresentando os primeiros corpos sociais da 1ª associação sócio-profissional de designers a sul de Portugal (+ info em ads.org.pt). E aqui estamos!

 

ADS – Quais são os principais objectivos da Associação de Designers do Sul – ADS?

BBC – A ADS tem-se afirmado como associação proactiva na região do Algarve, através da realização de eventos, na sua maioria em parceria com outras instituições, como é o caso do IPJ, a Câmara Municipal de S. Brás de Alportel, a Direcção Regional da Cultura, funcionando como recurso de apoio a estudantes e profissionais da área, mediante a divulgação, através das redes sociais e site oficial, de iniciativas, actividades, formações, concursos, oportunidades de trabalho e outras informações ligadas à área da criatividade, do design, artesanato e comunicação visual. Pretendemos lançar uma newsletter trimestral, com o mesmo objectivo, que se torne um veículo de promoção e divulgação do que de melhor se faz a sul do País, contribuindo também para promover o trabalho realizado pelos nossos associados. A ADS funciona também como um estrutura de apoio à formação de jovens e adultos nas áreas do design e criatividade, pelo que, actualmente, é responsável pelo acolhimento de estágios de alunos provenientes de diferentes escolas da região.

Em termos mais institucionais, e enquanto Associação Sócio-Profissional Juvenil, inscrita no Registo Nacional de Associativismo Jovem, orientamo-nos por alguns princípios enquanto associação sem fins lucrativos, que estão nos nossos estatutos (que podem ser consultados no nosso site) e que se podem resumir a três pontos essenciais: criar uma estrutura de apoio aos jovens designers, artistas, artesãos e criativos, que desenvolvam o seu trabalho a sul do país; estimular o desenvolvimento e a dinamização de projectos, actividades, formações e eventos ligados às áreas do Design, Artes e Ofícios e contribuir para a promoção e crescimento criativo na região.

 

ADS – Na tua opinião, qual é a importância da criação de uma associação assim para o panorama do design algarvio?

BBC  – Penso que é algo importante pois conhecendo a realidade profissional e económica que estamos a atravessar, temos consciência de que, infelizmente, muitas vezes os profissionais das áreas criativas acabam por trabalhar sozinhos, em regime de freelancer, ou em equipas reduzidas que, absorvidas pelo trabalho, podem correr o risco de não estar despertas para outras informações relevantes para o seu desenvolvimento profissional, ou por não ter grandes oportunidades de partilhar conhecimentos com outros profissionais. Neste sentido esperamos que a ADS possa ser, regionalmente, um espaço favorecedor desta partilha e do crescimento que dela advém, afirmando-se como um apoio de referência a estes designers, artistas, artesãos e criativos. Não obstante o facto de existir muita informação na Internet e em revistas especializadas, consideramos que esta acaba por estar um pouco focada nos grandes centros urbanos. E sabendo que a sul do País também se desenvolvem bons trabalhos e existem talentos e excelentes agências, sentimos que é nosso dever enquanto associação, contribuir para a sua promoção e ainda concentrar num só local a informação relevante à região e que por vezes parece andar dispersa. Se a associação conseguir concretizar, se não todos, pelo menos parte, dos objectivos a que se propõe, com grande dose de criatividade e inovação, penso que poderá trazer muitas oportunidades e alegrias às indústrias criativas a sul do País.

 

ADS – Fala-nos um pouco melhor sobre o projecto “Design&Ofícios”

BBC  – Este projecto, coordenado por mim e pelo designer Paulo Peres (vice-presidente da ADS), é sem dúvida o nosso grande projecto deste ano, e surgiu de um convite feito pela Câmara Municipal de S. Brás de Alportel à ADS para expor trabalhos dos associados no Centro de Artes e Ofícios do concelho. Após análise da proposta, pensámos por que não ir mais longe e desenvolver algo mais? E assim, surgiu o projecto “Design e Ofícios”.

O projecto Design e Ofícios está dividido em dois momentos: uma residência criativa que permitirá desenvolver as peças e/ou produtos e posteriormente a exposição onde irá estar patentes esta produção. O Centro de Artes e Ofícios é um espaço que promove as artes e ofícios da região e foi com este mote que resolvemos que a exposição a realizar não seria dedicada apenas ao gráfico, como tem sido nosso hábito, mas sim permitiria desenvolver outro tipo de produtos, mais ligados à cultura da região e à produção artesanal. Neste contexto, temos de agradecer aos vários parceiros que colaboram neste projecto, entre eles o Ministério da Cultura e o Instituto Português da Juventude, e muito  especialmente à Câmara Municipal de S. Brás de Alportel que, desde o início se mostrou interessada e partilhou do nosso entusiasmo, aceitando o desafio de organização e apoio a este evento, a iniciar no dia 17 de Junho de 2011. (para mais informações, consultar designeoficios.co.tv)

[button url=”https://ads.org.pt/noticias” size=”medium”]Outras Notícias[/button]


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.